Vitalius sorocabae

De tamanho médio, atinge aproximadamente 15 cm, possui a coloração marrom escura, quase negra, com cerdas levemente amareladas distribuídas ao longo do corpo sobretudo nas quelíceras. As fêmeas adultas possuem fortes marcações amarelas nas pernas gerando um lindo contraste com o fundo marrom / negro.
Endêmica do interior do estado de São Paulo, habita áreas ecotonais, podendo ser encontrada em florestas de Mata Atlantica Semi Decidual estacional ou Cerrado . Trata-se de uma espécie sinantrópica, sendo facilmente encontrada em casas e sitios na região de Sorocaba, Itu, São Miguel Arcanjo e arredores.
Área de transição entre Floresta Estacional Semidecidual e Cerrado. (Sorocaba, SP)

Ecdise – Troca do exoesqueleto

A troca de pele, na verdade, acontece em dois momentos, o primeiro se chama apolysis (não achei termo pra tradução) e nele acontece a separação da antiga cutícula das células hipodérmicas. Depois acontece a ecdise, que é quando acontece a troca de toda a exuvia da tarântula.
O processo de apolysis acontece cerca de uma semana antes da ecdise em si.