Dolichothele diamantinesis

Dolichothele diamantinensis (Bertani, Santos & Righi, 2009) ou Tarântula da Beleza Anã Azul Brasileira é às vezes descrita como uma aranha pequena com cores: verde e azul. Ela é menor que a GBB (Chromatopelma cyaneopubescens), mas a falta de tamanho compensa com cores muito mais brilhantes e vibrantes. Originalmente, esta espécie foi descrita como Oligoxystre diamantinensis em 2009. Sendo bastante nova, não há muitas informações disponíveis online em relação a esta espécie em particular.


INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS

Nome científico: Dolichothele diamantinensis

Subfamília: Ischnocolinae

Tipo: Terrestre

Categoria: Tarântula do novo mundo.

Cerdas urticantes: Não

Veneno: Provavelmente fraco, no entanto, nenhuma pesquisa científica valiosa foi feita ainda.

Origem: Brasil, Diamantina / Minas Gerais

Comprimento do corpo: ≤ 3-4cm.

Envergadura: ≤ 6-7cm.

Taxa de crescimento: Rápida.

Expectativa de vida: As fêmeas podem viver até 12-15 anos de idade. Os machos têm uma vida útil mais curta de 3-4 anos.

Comportamento: A aranha tentará fugir no início. Ela não hesitará em começar a andar em posição de ameaça, ja que essa espécie não possuí cerdas urticantes, ela pode se tornar um pouco mais defensiva do que as demais. Fêmeas quando estão com Ooteca (Saco de Ovos), não dão sinais de alerta, partindo pra cima da ameaça o mais rápido do que você possa esperar. Esta espécie é uma grande comedora e raramente recusa uma refeição, mas devido ao fato de serem uma tarântula anã, elas não exigem tanta comida quanto tarântulas maiores.


INFORMAÇÕES GERAIS

Essa tarântula é endêmica do cerrado brasileiro. Embora muitas espécies brasileiras prefiram um ambiente mais úmido, essa espécie em particular não é tão dependente da alta umidade como se pensava. Essas são aranhas que fazem muita teia e encherão qualquer recinto com um labirinto elaborado com vários túneis de teia, por isso é benéfico incluir plantas, casca de cortiça e outras decorações que são verticais no recinto do animal para que elas usem como pontos de ancoragem para suas teias.

Condições ambientais

Temperatura: 25-28°C (dia), 20-25°C (noite).

Umidade: 50-70%.

OBS: Tenha em mente que o animal vai sempre se proteger e abrigar em tocas rochosas, muitas vezes em cupinzeiros ou em troncos de arvores caídos, logo, a variável de temperatura e umidade local, pode variar.

* Você pode considerar um ajuste desses dados com o seu clima local. Não exceda mínima ou máxima.

Imagens e revisão por: Wolf Moller

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s